Sign In Forgot Password

JORNADA SOCIAL

Diante do desafio de Conciliar o crescimento da entidade com um modelo sustentável, encontrar novas maneiras de engajar os jovens que se encontram afastados da sua tradição espiritual e reforçar a qualidade de vida judaica dos sócios, amigos e frequentadores, a Shalom proporciona um espaço e um tempo de encontro onde estes jovens possam compartilhar suas reflexões sobre propósito e sobre o sentido da vida, suas angústias, incômodos e conquistas; atuando como um facilitador de processos que conectem e instiguem os jovens por meio do seu envolvimento com problemáticas contemporâneas e pela construção conjunta de possíveis soluções orientadas pelo conceito de Tikun Olam (reparo do mundo).

Dentre os ideais abarcados pela noção de Tikun Olam está o imperativo de justiça social. Independentemente de corrente ideológica, partido político, linha religiosa adotada ou qualquer outra variável sociocultural, todos almejam um mundo mais justo e fraterno, um mundo no qual as pessoas possam existir em plenitude. Unindo este desejo ao conceito de Tikun Olam, acreditamos que um dos caminhos possíveis em direção a este mundo é aquele que parte em direção a uma transformação interna, que começa de dentro para fora, do movimento de cada indivíduo em direção à mudança do que está a sua volta.

Tendo isso em vista, o departamento de juventude da Comunidade Shalom, por meio do Reshet, começou a estruturar a Jornada Social, um projeto de intercâmbio social em comunidades ao redor do mundo. A experiência tem dois objetivos centrais: contribuir para o desenvolvimento das comunidades e provocar nos voluntários um processo intenso de reconstrução identitária fundada na consciência da responsabilidade social. Dessa forma, a Jornada Social busca oferecer um caminho de desenvolvimento comunitário e individual inspirado no conceito ético judaico de Tikun Olam - reparo do mundo.

O projeto Jornada Social leva os jovens para o trabalho in loco, tirando-os de suas rotinas e inserindo-os em um contexto fora de suas zonas de conforto, pois acreditamos que esse movimento tem a capacidade de convidar as pessoas a vivenciar um processo de autoconhecimento e de expandir a visão mundo em todas as suas vertentes.

Em suas últimas quatro edições, a Jornada Social levou grupos de jovens para o Quênia, para a Guatemala, para o Pará (Brasil) e para o Haiti, adotando o formato de uma viagem de 10 dias (atuação in loco) precedida por 6 encontros presenciais, durante os quais foram realizadas oficinas e dinâmicas com o intuito de preparar o grupo para o trabalho na comunidade escolhida. No Quênia, os participantes juntaram-se a um projeto liderado por jovens músicos e poetas da maior favela do país. Na Guatemala, o trabalho foi dedicado a uma escola comprometida com a qualidade do ensino e a preservação da cultura Maya - um dos projetos da vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Rigoberta Menchu. Na terceira edição, no Brasil, na Ilha de Marajó, os participantes auxiliaram a comunidade da Vila do Pesqueiro a construir um centro comunitário. Na última edição o grupo viajou ao Haiti, onde trabalhou em dois orfanatos na periferia de Porto Príncipe, La Semance e Covenant, auxiliando na estruturação de um espaço escolar, plantando árvores, contribuindo para o armazenamento de produtos de higiene, alimentação e água, além de proporcionar uma série de atividades lúdicas para as crianças acolhidas pelas duas instituições.

A Jornada Social tem uma característica muito interessante: ela se agarra às nossas questões mais íntimas. Não importa o momento de vida, as alegrias, indagações e medos que cada um tenha, não importa qual seja a natureza do trabalho ou o destino. A jornada nos toca, invariavelmente, em nossos pontos de maior sensibilidade. Ela, inclusive, traz à tona questões que poderiam estar escondidas ou adormecidas, questões com as quais vínhamos evitando lidar ou apenas questões em relação às quais não sabíamos o que fazer.

Além de contribuírem para a melhoria das condições de vida das comunidades visitadas, muitos participantes das Jornadas intensificaram seu grau de comprometimento com o desenvolvimento da comunidade judaica e da sociedade brasileira. Diversos jovens começaram a investir seu tempo em atividades voluntárias locais e outros encaminharam-se, profissionalmente, a trabalhos de impacto social. Assim, através de experiências de voluntariado, a Jornada tem tido sucesso em impulsionar, em jovens da comunidade judaica, a expansão de práticas comprometidas com um presente e um futuro melhores.

 

Mon, 15 July 2019 12 Tammuz 5779